meu canto

<3

Eu procurei tanto por mim que virei uma aventura.
Enquanto o corpo no auge do desabrochar a alma era botão, eu vi o mundo mudar, eu vi o tempo perder o chão.
A fé morrer na curva, mas o dia nascia e pedia que eu esperasse.
No meio dos anos dois mil, sim ele passou...
Uma medievalidade eclode ainda mais barbara, entre aplicativos, filtros e fotos.
O pão, o circo, a igreja.
Meu descanso é testemunhar e agradecer baixinho...
Ainda sou romântica. Foi o único pedaço que por enquanto encontrei.

Love. D.C.

Silêncio


Hoje nasce o meu silêncio

Rasgou o propio peito com a mão

O abissau o decreta.

Um Grito tao alto e triste, que de tão libertador transformou- se em silencio.

Um saber cego! Como o dos peixes que se alimentam nas entranhas submarinas.

Esses peixes nunca saberão que são feios... De uma feiura imensurável.

D.C

Fiz Amor

fiz amor num silencio tão simples em um tempo tão de graça.
Tao reto e direto, tão sem pensamento.
Tão sem futuro.
Quase morte, quase fim. Olho meio aberto, meio fechado.
Sem perfume sem preparo. Uma seta certa decidida.
Onde o corpo vive inteiro. Reina.
Quando ele sabe mais, da aula.
E no momento oculto que finda subterrâneo. Chega-se, alcança -se o perfeito.
O presente químico do corpo ao cérebro que largou o leme não se lembra quando.
Tempestades acendem saquinhos de neuronios agarrados como estrelinhas longas do mar. Nunca repetir-se-a , único como nós.
Tempestade colorida, a pele dissolve não sabe se é ar.
O ouvido volta a ouvir, o olho volta a ver... Respira- se..

D.C

DANNI CARLOS
Fotos Site: Paula Huven